Matemática = Bicho Papão?

A Matemática não será 'Bicho Papão' se forem seguidos alguns princípios básicos no início da vida escolar das crianças, como por exemplo:

- Pais e Professores podem fornecer experiências variadas e lúcidas na aprendizagem da Matemática, desde cedo.
- Pais e Professores entenderem que a habilidade para solucionar problemas matemáticos depende do estágio de desenvolvimento da criança.
- Professores desenvolverem a Matemática de forma que seja entendida como uma oportunidade de aprender a raciocinar, descobrir, solucionar problemas, tudo enfim que envolve a aprendizagem.
- Pais e Professores relacionarem a matemática com o dia-a-dia das crianças.

Todos sabemos que a Matemática faz parte da nossa vida diária. Porém na Escola, frequentemente observamos a Matemática sendo tratada como um 'capítulo à parte' da vida das crianças e, portanto, sem o menor significado.

De acordo com a nossa experiência, quando as crianças têm a oportunidade de manipular objetos, testando e criando conceitos, e quando sua aprendizagem está relacionada a situações familiares, a Matemática transforma-se em algo muito importante, além de significar uma atividade prazeirosa.


Jogos e Simulações

Os Jogos Matemáticos são apreciados desde a antiguidade. Nossas crianças também têm se divertido e aprendido muito com os mais diversos jogos disponíveis no mercado. Os jogos permitem que as crianças aprendam conceitos, e desenvolvam fundamentos essenciais na aprendizagem da Matemática, como: Classificação, Seriação, Comparação, Correspondência um a um, Contagem, Reconhecimento de Números, Tamanhos, Formas, etc. Obviamente, para a aplicação dos Jogos Matemáticos, deve-se observar o estágio de desenvolvimento do raciocínio lógico tão conhecido dos educadores.

A simulação da realidade é outra atividade fundamental, especialmente no processo de aprendizagem da Matemática. Compra e venda no comércio, controle da conta bancária - simulando inclusive os extratos bancários, com juros e números negativos, Pizzas Fracionadas, Cálculos de crediário, Inflação, além da manipulação dos mais variados materiais concretos que comprovem a necessidade e veracidade das Regras Matemáticas.

Dessa forma, as Regras são memorizadas por significarem um auxílio ao estudante, que está sendo incentivado a pensar de maneira lógica, descobrindo e de fato entendendo o que está fazendo, dando seu sentido ao seu aprendizado, mesmo que qualquer um desses recursos pedagógicos seja utilizado através de programas de computador.

Evidentemente, os educadores modernos e criativos encontrarão estas e outras formas de desenvolverem o ensino da Matemática, o que nos dá a esperança de acabar de vez com o chavão de que a Matemática é um 'Bicho Papão', proporcionando às novas gerações uma educação que faça jus à inteligência, à capacidade e direitos de nossas crianças!


Giselle Castro Fernandes
Psicopedagoga e professora de Prática de Ensino
Matemática = Bicho Papão?

A Matemática não será 'Bicho Papão' se forem seguidos alguns princípios básicos no início da vida escolar das crianças, como por exemplo:

- Pais e Professores podem fornecer experiências variadas e lúcidas na aprendizagem da Matemática, desde cedo.
- Pais e Professores entenderem que a habilidade para solucionar problemas matemáticos depende do estágio de desenvolvimento da criança.
- Professores desenvolverem a Matemática de forma que seja entendida como uma oportunidade de aprender a raciocinar, descobrir, solucionar problemas, tudo enfim que envolve a aprendizagem.
- Pais e Professores relacionarem a matemática com o dia-a-dia das crianças.

Todos sabemos que a Matemática faz parte da nossa vida diária. Porém na Escola, frequentemente observamos a Matemática sendo tratada como um 'capítulo à parte' da vida das crianças e, portanto, sem o menor significado.

De acordo com a nossa experiência, quando as crianças têm a oportunidade de manipular objetos, testando e criando conceitos, e quando sua aprendizagem está relacionada a situações familiares, a Matemática transforma-se em algo muito importante, além de significar uma atividade prazeirosa.


Jogos e Simulações

Os Jogos Matemáticos são apreciados desde a antiguidade. Nossas crianças também têm se divertido e aprendido muito com os mais diversos jogos disponíveis no mercado. Os jogos permitem que as crianças aprendam conceitos, e desenvolvam fundamentos essenciais na aprendizagem da Matemática, como: Classificação, Seriação, Comparação, Correspondência um a um, Contagem, Reconhecimento de Números, Tamanhos, Formas, etc. Obviamente, para a aplicação dos Jogos Matemáticos, deve-se observar o estágio de desenvolvimento do raciocínio lógico tão conhecido dos educadores.

A simulação da realidade é outra atividade fundamental, especialmente no processo de aprendizagem da Matemática. Compra e venda no comércio, controle da conta bancária - simulando inclusive os extratos bancários, com juros e números negativos, Pizzas Fracionadas, Cálculos de crediário, Inflação, além da manipulação dos mais variados materiais concretos que comprovem a necessidade e veracidade das Regras Matemáticas.

Dessa forma, as Regras são memorizadas por significarem um auxílio ao estudante, que está sendo incentivado a pensar de maneira lógica, descobrindo e de fato entendendo o que está fazendo, dando seu sentido ao seu aprendizado, mesmo que qualquer um desses recursos pedagógicos seja utilizado através de programas de computador.

Evidentemente, os educadores modernos e criativos encontrarão estas e outras formas de desenvolverem o ensino da Matemática, o que nos dá a esperança de acabar de vez com o chavão de que a Matemática é um 'Bicho Papão', proporcionando às novas gerações uma educação que faça jus à inteligência, à capacidade e direitos de nossas crianças!


Giselle Castro Fernandes
Psicopedagoga e professora de Prática de Ensino
Matemática = Bicho Papão?

A Matemática não será 'Bicho Papão' se forem seguidos alguns princípios básicos no início da vida escolar das crianças, como por exemplo:

- Pais e Professores podem fornecer experiências variadas e lúcidas na aprendizagem da Matemática, desde cedo.
- Pais e Professores entenderem que a habilidade para solucionar problemas matemáticos depende do estágio de desenvolvimento da criança.
- Professores desenvolverem a Matemática de forma que seja entendida como uma oportunidade de aprender a raciocinar, descobrir, solucionar problemas, tudo enfim que envolve a aprendizagem.
- Pais e Professores relacionarem a matemática com o dia-a-dia das crianças.

Todos sabemos que a Matemática faz parte da nossa vida diária. Porém na Escola, frequentemente observamos a Matemática sendo tratada como um 'capítulo à parte' da vida das crianças e, portanto, sem o menor significado.

De acordo com a nossa experiência, quando as crianças têm a oportunidade de manipular objetos, testando e criando conceitos, e quando sua aprendizagem está relacionada a situações familiares, a Matemática transforma-se em algo muito importante, além de significar uma atividade prazeirosa.


Jogos e Simulações

Os Jogos Matemáticos são apreciados desde a antiguidade. Nossas crianças também têm se divertido e aprendido muito com os mais diversos jogos disponíveis no mercado. Os jogos permitem que as crianças aprendam conceitos, e desenvolvam fundamentos essenciais na aprendizagem da Matemática, como: Classificação, Seriação, Comparação, Correspondência um a um, Contagem, Reconhecimento de Números, Tamanhos, Formas, etc. Obviamente, para a aplicação dos Jogos Matemáticos, deve-se observar o estágio de desenvolvimento do raciocínio lógico tão conhecido dos educadores.

A simulação da realidade é outra atividade fundamental, especialmente no processo de aprendizagem da Matemática. Compra e venda no comércio, controle da conta bancária - simulando inclusive os extratos bancários, com juros e números negativos, Pizzas Fracionadas, Cálculos de crediário, Inflação, além da manipulação dos mais variados materiais concretos que comprovem a necessidade e veracidade das Regras Matemáticas.

Dessa forma, as Regras são memorizadas por significarem um auxílio ao estudante, que está sendo incentivado a pensar de maneira lógica, descobrindo e de fato entendendo o que está fazendo, dando seu sentido ao seu aprendizado, mesmo que qualquer um desses recursos pedagógicos seja utilizado através de programas de computador.

Evidentemente, os educadores modernos e criativos encontrarão estas e outras formas de desenvolverem o ensino da Matemática, o que nos dá a esperança de acabar de vez com o chavão de que a Matemática é um 'Bicho Papão', proporcionando às novas gerações uma educação que faça jus à inteligência, à capacidade e direitos de nossas crianças!


Giselle Castro Fernandes
Psicopedagoga e professora de Prática de Ensino

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO QUANDO VISITAR O BLOG Edna Ribeiro - Um Olhar para o Horizonte